Irmãs Carmelitas 
SOBRE A ASSOCIAÇÃO IRMÃS CARMELITAS FREIS CARMELITAS ORDEM SECULAR


Rezando o Rosário com Santa Elisabete da Trindade

Mistérios Gozosos

A atitude da Santíssima Virgem durante os meses decorridos entre a Anunciação e Natividade é o modelo das almas interiores, das criaturas escolhidas por Deus para viverem dentro, no fundo do abismo Insondável.

(C. T. 40)

 

1º Mistério

Anunciação do Anjo à Virgem Maria

O Pai, inclinando-se sobre essa criatura tão bela , tão indiferente à própria beleza, quis que ela fosse, no tempo, a mãe Daquele de quem Ele é o Pai na eternidade. Veio então o Espírito de Amor que preside a todas as operações de Deus, e a Virgem pronunciou seu Fiat: Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a sua palavra, e o maior dos mistérios se  realizou. Com a descida do Verbo, Maria ficou sendo, para sempre, a presa de Deus.

(C. T. 39)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

2º Mistério

Visita de Maria à sua prima Isabel

Com que paz, com que recolhimento Maria se entregava a todas as ocupações! Como as ações mais banais eram por ela divinizada! Porque em tudo a Virgem continuava a ser adoradora do Dom de Deus! Isto não a impediu de entregar-se às obras exteriores quando a caridade o exigia. O evangelho narra que Maria percorreu diligentemente as montanhas da Judéia para visitar sua prima Isabel.

(C. T. 40)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

3º Mistério

Nascimento de Jesus

Tenho verdadeira obsessão por este mistério que um autor chamou de A descida do Amor e acho que foi na contemplação disso que São Paulo pode dizer: 

“Deus nos amou com grande Amor”.

(C. 219)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

4º Mistério

Apresentação do Menino Jesus no Templo

A alma que vivesse na fé sob o olhar de Deus, que tivesse aquele olho simples (cf. Mt. 6,22) de que Cristo fala no Evangelho, ou seja, aquela  pureza de intenções que só visa Deus; essa alma, no meu entender, viveria também na humildade e saberia reconhecer os dons que lhe prodigalizou, porque humildade é verdade. Ela não se apossaria de nada, mas referiria todas as coisas a Deus, como fazia a Santíssima Virgem.

(C. 268)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

5º Mistério

Perda do Menino Jesus no Templo

“Virgo Fidelis”: é a Virgem Fiel, aquela que “guardava tudo em seu coração”. Conservava-se tão humilde, tão recolhida em Deus, no segredo do Templo, que atraiu sobre si as complacências da Santíssima Trindade.

(C. T. 39)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

Mistérios Luminosos

Aproximemo-nos da Virgem totalmente pura e toda Luminosa, a fim de que nos introduza naquele que ela conhece tão profundamente e para que a nossa vida se torne, assim, uma contínua comunhão e um impulso espontâneo para Deus.

(C. 138)

 

1º Mistério

Batismo de Jesus

Portanto, por meio de todas as coisas, em meio às solicitudes maternais, enquanto vive dedicada aos seus anjinhos, você pode retirar-se para essa solidão e colocar-se À disposição do Espírito Santo, o qual a transformará em Deus e imprimirá em sua alma a Imagem da beleza Divina, para que o Pai, ao contemplá-la, veja na sua pessoa somente o seu Cristo e possa exclamar: “Esta é a minha filha dileta na qual depositei todas as minhas complacências (Mt 3.17).

(C. 210)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

2º Mistério

Jesus nas bodas de Caná

 

O Evangelho diz que “Houve em casamento em Caná da Galiléia, e a mãe de Jesus estav lá” (Jo 2,1). Foi nestas circunstâncias que Jesus realizou seu primeiro milagre diante do pedido da Virgem. O fato nos é contado com a finalidade de mostrar-nos o quanto Deus se interessa por todas as nossas necessidades, inclusive aquelas realmente materiais. Por conseguinte tenhamos confiança em seu amor.

(C. 119)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

3º Mistério

Anúncio do Reino

Daqui do fundo da minha solidão do Carmelo, quero ser apóstolo junto com o Senhor; quero trabalhar pela Glória de Deus e, para isto, é preciso que o possua plenamente. Terei, então, um poder absoluto: em olhar, um desejo se tornam uma oração irresistível, que tudo pode alcançar, porque, de certo modo, é o próprio Deus que oferecemos a Deus.

Apóstolo e Carmelita são a mesma coisa!

(C. 171)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

4º Mistério

A Transfiguração

“Vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim…” É preciso sermos transformados em Jesus Cristo, como diz ainda São Paulo: “Os que de antemão Deus conheceu, esses também predestinou a serem conformados à imagem do seu Filho”. Tenho pois de estudar este divino Modelo, a fim de identificar-me tão bem com ele, que o possa exprimir sem cessar aos olhos do Pai. E que diz, logo ao entrar no mundo? “Eis que venho, ó Deus, para fazer vossa vontade”. Parece-me que esta prece deveria ser a primeira batida do coração da esposa: “Eis-nos, ó Pai, para fazer vossa vontade”!

(U.R. 37)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

5º Mistério

A Instituição da Eucaristia

Creio que nada manifesta tanto o amor que está no coração de Deus como a Eucaristia. É a união consumada, é ele em nós e nós nele; e não lhe parece que isto é o céu na terra? O céu na fé, enquanto se espera a visão beatifica face a face: então seremo saciados, quando aparecer a sua Glória (Sl 16,15), quando o veremos na sua Luz.

(C. 138)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

Mistérios Dolorosos

 

Esta Rainha das virgens é também Rainha dos mártires; e é no coração que a espada há de traspassá-la, porque nela tudo se passa no interior. .. Oh! Quanto é bela em seu longo martírio, tão serena, envolta numa espécie de majestade que respira a um tempo força e do­çura ... É que aprendera do Verbo como devem sofrer aqueles que ele quis associar à grande obra de redenção, aqueles que "conheceu e pre­destinou a serem conformes ao seu Cristo", cru­cificado por Amor.

(U.R.41)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

1° Mistério

Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras

Comamos amorosamente esse pão da von­tade de Deus. Se às vezes seus desejos são mais cruciantes, podemos sem dúvida dizer com o Mestre adorável: "Meu Pai, se é possível, que passe de mim este cálice"; mas acrescentaremos sem demora: "contudo não será como eu quero, mas como Tu queres". E calmos, forte, ao lado do divino Crucificado, galgaremos tam­bém nosso calvário, cantando no íntimo da alma, e elevando ao Pai um hino de ação de graças, porque os que andam nessa via doloro­sa são "aqueles que ele conheceu e predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho".

 (C.T.30)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

2° Mistério

Flagelação de Jesus

"Toda alma mergulhada no sofrimento vive ao lado dele; ela habita com Jesus Cristo aque­la imensidão da dor que o profeta cantou (cf. Is 53,3): é a nossa morada dos predestinados, daqueles que "ele conheceu de antemão e que quer conformes à imagem do seu Filho, o Crucifica­do" (Rm 8,29).

(C.T.30)

                              

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

3° Mistério

Jesus é coroado de espinhos

Ao referir-se a Jesus, uma santa escrevia: "Onde mora, senão na dor?". E Davi disse que essa dor é imensa como o mar. Toda alma triturada pela dor, seja qual for a forma com que se apresente, pode dizer: "Moro com Jesus, vivo em intimidade com Ele, uma mesma moradia nos acolhe".A santa de que falava há pouco diz que o sinal para saber que Deus mora em nós e que seu amor reina em nossas almas, consiste em aceitar não só com paciência, mas também com agradecimento, o que nos fere e nos faz sofrer. Para conseguir isto, é preciso contemplar a Deus crucificado por nosso amor. Se essa contempla­ção é sincera, então desemboca infalivelmente no amor ao sofrimento.             

(C. 263)

4º Mistério

Jesus a caminho do Calvário

 

A alma que quer servir a Deus, dia e noite em seu templo (.. ) deve estar decidida a co­mungar efetivamente na paixão de seu Mestre. Galga o caminho do calvário, à direita do Rei crucificado, aniquilado, humilhado e toda­via, forte, calmo, cheio de majestade, que vai à paixão para "louvor e glória de sua graça". Ele quer associar sua esposa à obra de redenção, e essa via dolorosa em que a alma caminha pare­ce-lhe como a estrada da beatitude: não só por­que a ela conduz, mas porque o divino Mestre lhe fez compreender que deve ultrapassar o possível amargor do sofrimento para aí encon­trar com Ele, o repouso.  

 (D.R. 13)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

5° Mistério

Crucifixão e Morte de Jesus

 

No momento do Abandono, da desolação, da angústia - que arrancaram a Cristo o gran­de Grito: "Por que me abandonaste? -, ela se recordará da oração do mestre: "Que eles te­nham em si plena alegria". E, bebendo até a úl­tima gota "o cálice preparado pelo Pai", saberá encontrar em seu amargor uma suavidade divi­na. Enfim, após repetir muitas vezes: "Tenho sede", sede de vos possuir na glória, ela canta­rá: "Tudo está consumado; em vossas mãos entrego o meu espírito". E o Pai virá então buscá-la, a fim de "transportá-la à sua heran­ça", onde, "na luz, ela verá a luz".

(U.R. 39)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

Mistérios Gloriosos

Depois de Jesus Cristo, e sem dúvida, à distância que existe entre o infinito e o finito, há uma criatura que foi também o grande lou­vor de glória da Santíssima Trindade. Ela cor­respondeu plenamente à eleição divina de que fala o Apóstolo: foi sempre "pura, imaculada, irrepreensível" aos olhos do Deus três vezes santo. Sua alma é tão simples, seus movimen­tos tão profundos, que ninguém os pode sur­preender. Ela parece reproduzir na terra a vida do Ser divino, do Ser simples. É tão transparen­te, tão luminoso, que se poderia confundi-la com a própria luz. Entretanto é apenas o "espelho" do Sol de justiça, "Speculum Justitiae"! ...

(U.R.40)

 

1° Mistério

A Ressurreição de Jesus

"Deus é livre em tudo, menos no amor"... Neste tempo da Ressurreição, Cristo, ven­cedor da morte, quer ser o nosso prisioneiro. Esta me parece ser exatamente a maneira de ressuscitarmos com ele, passando pela terra "livres em tudo, menos no amor", com a alma e o coração fixos em Deus, repetindo a nós mes­mos as palavras que santa Catarina de Sena tan­to gostava de dizer no silêncio de sua alma: "Sou procurada, sou amada". Esta é a verdade. Tudo o mais carece de sentido.                         

(C. 166)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

2° Mistério

A Ascensão de Jesus ao Céu

               

Quão bela é a criatura assim despojada, liberada de si própria! Pode dispor das ascen­sões de seu coração, para passar do vale de lá­grimas (isto é, de tudo que é inferior a Deus) "ao lugar de seu destino", aquele "lugar espa­çoso" cantado pelo Salmista, e que é, segundo parece, a insondável Trindade: Imenso Pai Imenso Filho, Imenso Espírito Santo!...    

(U.R.44)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

3° Mistério

A descida do Espírito Santo

 

Ó Fogo devorador, Espírito de amor, "vin­de a mim", para que se opere em minha alma como que uma encarnação do Verbo: que eu seja para ele uma humanidade de acréscimo na qual ele renove todo o seu Mistério. E vós, ó Pai, inclinai-vos sobre vossa pobre e pequena cria­tura, cobri-a com vossa sombra, vendo nela só o Bem-Amado, no qual pusestes todas as vos­sas complacências.

(Elevação a SS. Trindade)

 

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

4° Mistério

Assunção de Maria ao Céu

Parto com a Santíssima Virgem na noite de sua Assunção, a fim de preparar-me para a vida eterna. Seria o meu noviciado do céu que... a Santíssima Virgem me revestirá com o manto de Glória, se me encontrar pronta. A Bem-aventu­rança me fascina sempre mais. Meu divino Mes­tre e eu só nos preocupamos com este assunto.

(C. 259)

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

5° Mistério

Coroação de Maria

 

Deus nos dá uma Mãe terna, a mais terna, a mais compassiva que se possa sonhar... E porventura não é a Rainha do céu? Jesus deu no céu todo poder àquela a quem na terra obedecia tão docemente. Sim ela tudo con­segue do Coração de Jesus. Recorramos a ela!

(Diário, quinta-feira, 22 de março - noite)

 

1 Pai-nosso

10 Ave Maria

Glória ao Pai…

Elisabete da Trindade, rogai por nós.

 

Conclusão

O Rosário: é a corrente que nos une a Ma­ria. Com a prática da reza do rosário, acumu­lamos uma quantidade de graças, e Maria nos estende a mão, Maria dirige a nossa barquinha sobre as ondas agitadas desta vida. Com ela no leme, temos a certeza de que chegaremos ao porto da salvação eterna. Não pode deixar-nos perecer, é impossível! Deixo-lhes as meditações dos mistérios do Rosário. Carregue-os sempre com vocês como lembrança da sua Elisabete, que no céu os amará ainda mais do que na terra.

(Diário, quinta-feira, 23 março ­seis horas da manhã e C. 287, adaptada)