Irmãs Carmelitas 
SOBRE A ASSOCIAÇÃO IRMÃS CARMELITAS FREIS CARMELITAS ORDEM SECULAR


Carmelo Nossa Senhora do Carmo

Carmelo Nossa Senhora do Carmo

Av. Loureiro da Silva, 1735
Bairro: Cidade Baixa
90050-240 - Porto Alegre - Rio Grande do Sul

E-mail: mosteirodocarmopoa@gmail.com
Fone: (51) 3224-0412 / (51) 2112-8179

O Mosteiro Nossa Senhora do Carmo, 1º Carmelo do Sul do Brasil e o 2º do Brasil foi fundado em 1839 por Madre Joaquina de Jesus.

Portuguesa de nascimento, tinha 16 anos, quando na ocasião da invasão francesa, seus pais embarcaram para a Inglaterra até encontrarem passagem para o Brasil. Trouxe Joaquina, de Portugal, como único tesouro, as obras de Santa Teresa de Jesus.

Foi trazida pela providência divina para introduzir a reforma teresiana em terras Riograndenses. Caráter alegre e comunicativo, ao mesmo tempo que enérgico e empreendedor, gênio constante e espírito jovial, tal era a feição moral da Madre Joaquina.

Ela encontrou muitas dificuldades para poder realizar seus planos da fundação de um convento de carmelitas. Porém, corajosa e intrépida nas suas empresas para a glória de Deus e da Santíssima Virgem, nenhuma dificuldade conseguia abater-lhe o ânimo varonil, pois sua confiança em Deus era sem limites. Humilde submissão aos desígnios de Deus, expressa na obediência aos superiores, foi outro traço indelével de sua fisionomia.

As palavras que convenceram o superior a dar-lhe licença para a construção do convento foram as seguintes:“SE DEUS QUISER, NÃO TENDO NADA SE FARÁ TUDO E, SE DEUS NÃO QUISER, POSSUINDO MUITAS RIQUEZAS NADA SE FARÁ.”

Em 1839, Joaquina deu início às obras, sendo inaugurada a primeira capela em 1846.

Pensava a Madre Joaquina construir o convento ao lado da capela. Porém os padres, Manuel e Félix, designados pelo vigário geral Pe. Tomé L. de Souza, para desempenhar seu ministério sacerdotal na capelinha desde o dia da sua inauguração, opinaram a que se edificasse antes uma capela mais ampla, para conter a numerosa afluência de fiéis.

E Ela, sempre submissa ao parecer dos que a dirigiam, deu início, não ao convento como era seu desejo, mas, à edificação da 2ª e atual Capela de Nossa Senhora do Carmo, juntamente com a casa para o convento. No dia 6 de novembro de 1857 foi a inauguração da atual capela, e com a aprovação da autoridade eclesiástica, Dom Feliciano José Rodrigues Prates, 1º Bispo do Rio Grande do Sul, no dia 8 de dezembro do mesmo ano, na Festa Solene da Imaculada Conceição da Bem Aventurada Virgem Maria, principiaram a viverem religiosamente com perfeita clausura, a Madre Joaquina e suas 10 companheiras.

No dia 18 de novembro de 1862 Madre Joaquina faleceu, sem poder ver seu convento canonicamente aprovado. Nem havia completado 2 meses após a morte da madre fundadora, aos 12 de janeiro de 1863, a Santa Sé concedia a aprovação do mesmo. Em 24 de maio do mesmo ano, pela primeira vez foram pronunciados os votos religiosos em seu Mosteiro.