Irmãs Carmelitas 
SOBRE A ASSOCIAÇÃO IRMÃS CARMELITAS FREIS CARMELITAS ORDEM SECULAR


Freis Carmelitas Descaços

FREIS CARMELITAS DESCALÇOS

Santa Teresa de Jesus quis a criação de comunidades de frades com características semelhantes às das Irmãs: comunidades pequenas, vivendo em fraternidade e pobreza partilhada, em recolhimento e oração. Naturalmente, teriam as especificidades próprias: o ministério apostólico de serviço à Igreja e suas necessidades, e a ajuda especial na orientação – que não no governo – das comunidades femininas.

Uma vez conseguida a licença, começou para a Santa um longo período de oração e de busca. De início orientou-se inclusive para os seculares, como havia feito ao iniciar a fundação do mosteiro de São José (vinho novo, odres novos), mas não os tendo encontrado, voltou-se para os Carmelitas da Antiga Observância. E, pelos caminhos que ela conta no capítulo terceiro de seu livro das Fundações, a Providência colocou à sua disposição os padres Antônio de Heredia, prior de Medina del Campo, que o tinha sido de Ávila no triênio anterior, e João da Cruz, estudante de teologia em Salamanca. Com eles e frei José de Cristo, corista, inaugurou sua primeira fundação de frades em Duruelo, no dia 28 de novembro de 1568.

Toda oração bem feita tem dimensão apostólica, por isso o Carmelita não é um homem fugido do mundo e refugiado na gruta da contemplação, para orar, desde ali, pelas necessidades e problemas da Igreja. O Carmelita é um apóstolo. Vivendo como homem no meio dos homens, ele é um ativo servidor da Igreja. Encarnado no seu mundo, vive comprometido com a tarefa de o ajudar a ir até Deus, de descobrir a presença de Deus no mesmo mundo.

 

FREIS CARMELITAS DESCALÇOS DA PROVÍNCIA SUL

(entre em contato conosco)